sábado, 16 de janeiro de 2016

Cadê o gordinho da Saveiro?


         Esta é a melhor época para ler ou assistir  a um jornal. Depois das festas, todo mundo de férias ou de recesso, nos acompanhamos um jornal e não vemos absolutamente nada, apenas amenidades, socialites, brindes e mesmo que houvesse, nós descartaríamos tais assuntos, pois neste momento queremos um pouco de paz, alegria e pensar em nada.
         Chega de acordar de manhã, sair no portão ou ligar a TV e ver o japonês da Policia Federal estampado na primeira página fazendo companhia a algum figurão da política ou do mundo empresarial. Basta de tentar entender o que a Dilma tentou falar em algum discurso misturando mandioca com ensacar vento, inventando uma nova espécie: a “mulher sapiens”. Se não são os dois, aparece o Eduardo Cunha aprontando alguma sacanagem no Congresso, ludibriando as leis mal feitas, negando que aquele dinheiro todo que encontraram na sua conta na Suíça e que pagaram aulas de tênis para sua esposa nos Estados Unidos, seriam dele. Imagine só o coitadinho.
         Pior que a relação entre o Renan e o Temer, onde acontece uma traição atrás da outra, onde ninguém sabe quem mente mais ou faz a maior safadeza política com o outro, é o comportamento da oposição que não sabe o que quer, fazendo alianças ora com o Eduardo, ora com o Temer, algumas vezes até erra os passos da dança se omitindo em assuntos só da oposição. Mas o Temer, pelo menos tem um consolo, sua mulher Marcela, que muitos querem transformá-la em primeira dama.
         Agora o que não corremos mesmo é o risco de avistar o Lula nos mesmos (jornais), pois quando a temperatura se eleva e a água ferve, ele prefere o anonimato, principalmente, quando todos esperavam explicações dos boatos falsos sobre o primogênito, ele mesmo que informar a PF sobre movimentações financeiras do seu raspa de tacho. É uma estratégia para se preservar para 2018, quando deve concorrer à presidência da Republica.
         Então, até depois do carnaval, estamos livres desses sustos que tanto nos infernizaram durante todo o ano de 2015. Todo dia tinha uma bomba detonada, até nos esporte onde o Anderson Silva ludibriou o adversário; o Massa teve uma regularidade impressionante: saía em oitavo e sempre chegava na oitava posição. O Marin foi preso, o Del Nero será; o Rogério Ceni, pasmem, se aposentou; o Palmeiras finalmente conseguiu um título; os bandeirinhas e os juízes comemoraram juntos o título do Corinthians.
         Para nos divertir um pouco, bem que o gordinho da Saveiro poderia aprontar mais alguma, né?

Sergio Lordello
Professor


Nenhum comentário: