sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Um momento para refletir


(sentimentosintimos.blogspot.com)


        Agora em outubro, próximo do dia 31, vai nascer uma pessoa muito especial que fará com que o mundo todo reflita sobre o seu futuro na Terra. A ONU já marcou a cerimônia numa cidade da Índia para celebrar o nascimento do sétimo bilionésimo (sete bilhões) habitante do planeta. E realmente será um momento para que todos nós reflitamos sobre o futuro das pessoas.

         E por que refletir? Pois bem, desde que o homem apareceu na face da Terra, nós só viemos atingir a população de um bilhão de pessoas no ano de 1800 (Limeira não tinha sido fundada ainda). Em compensação, a partir daí, o processo acelerou-se chegando a dois bilhões 125 anos após, três bilhões com apenas 35 anos a mais e nos últimos 50 anos, mais que dobramos esta população. O auge deste crescimento foi nos anos setenta quando o mundo crescia a taxa de dois por cento. Hoje a mesma caiu em torno de um por cento, mas os avanços na medicina, com tratamentos eficazes, vacinações eficientes, estão fazendo o homem viver mais.

         Em 2050 viverão na Terra 9,3 bilhões de pessoas, entre elas os meus alunos atuais, já coroas sim, na faixa dos cinquenta anos e seus filhos saindo das faculdades e ávidos por um emprego. Ou seja, estou escrevendo aqui sobre o futuro de muitos jovens que estão lendo o JL no dia de hoje.

         Todas essas pessoas precisarão ser alimentadas, transportadas, terem a sua sede saciada, gastará energia, terão que morar e etc. Pense bem, apenas nos últimos cinco anos quarenta milhões de brasileiros tiveram um pequeno aumento de renda e passaram a consumir mais, a gastar mais. O mesmo fato está acontecendo na China só que numa escala muito maior e a demanda por alimento no mundo está crescendo de tal forma que pressiona os preços para cima. Hoje, como exemplo, existe uma concorrência na área de plantio de cana de açúcar para a produção de açúcar (alimento) e etanol (energia) fazendo com que os preços de ambos tenham disparado. Os alimentos ficarão mais caros, pois a área plantada não será suficiente para suprir a demanda.

         Mas vamos pensar em nossa cidade. Limeira não deverá atingir os 400.000 habitantes até aquela data, mas enfrentará problemas sérios se não se precaver. O primeiro deles é tomar medidas consistentes para a preservação das bacias dos ribeirões dos Pires, Pinhal e Tabajara dando apoio aos gritos roucos e solitários do prof. Dirceu Brasil. O segundo deles é que com o aumento da renda média, bens estarão disponíveis para nossa população, principalmente veículos que causarão mais congestionamentos, maior demanda por estacionamentos, sendo preciso reverter-se a lógica atual com investimentos maciços no transporte de massa. Os nossos netos precisarão muito dele, mesmo que deixemos uma gorda herança para os mesmos.

         Até então falávamos que “no futuro vai acontecer isto ou aquilo”. Mas agora este futuro chegou, tem dia, hora, endereço e já sabemos os nomes dos que estarão envolvidos. E são pessoas do nosso convívio, ou ainda, de quem somos os responsáveis por estarem aqui. Portanto, é  hora de agirmos. Chega de omissão.



Sérgio Lordello

Nenhum comentário: